quinta-feira, 30 de julho de 2009

DEVOLUÇÕES

Basta um primeiro raio
Para devolver cor e sentido
A tudo o que se mostra.

As páginas transcorrem nas mãos
E letra por letra, palavra por palavra
Devolvem e ganham significados.

Calma e silenciosa
A semente devolve à espécie
Sua descendência.

Cobrem o céu como um manto
Pontuado de brilho
Devolvendo a noite um encontro com a luz.

Os registros de momentos
Imprevistos ou marcados
Agora revelados, devolvem lembranças.

(Rosa Maria Ramalho)

Um comentário:

  1. Querida Rosa!
    Parabéns pela iniciativa do blog e pelas lindas poesias feitas de vida. Com certeza vou sempre entrar e meditar tão belas palavras.
    Paula

    ResponderExcluir