terça-feira, 23 de agosto de 2011

ROSA, A SANTA



Isabel, acaso precisavas de um outro nome
Para atestar a tua beleza?
Já não eram vistos aos olhos de todos
A tua face,
O teu olhar,
A tua intenção.

Mas agora, é por Rosa que te conhecemos,
O teu nome te descreve e não te guarda.
Humana, carregada de espinhos.
Santa, voltada para Deus.
Tiveste uma cor própria,
Uma beleza única
E te desabrochaste
Por inteiro, com o perfume e a linguagem
De quem ama e se sente amada.


(Rosa Maria Ramalho)

Um comentário: